HOMEM ENGOLE COLHER E MÉDICOS CONSEGUEM RETIRÁ-LA DA BARRIGA DELE DEPOIS DE 1 ANO


O mundo está cheio de acontecimentos bizarros.

Há casos tão impressionantes que chegamos a duvidar se realmente são possíveis de acontecer.

Esse foi o caso de Zhang, um chinês de 20 anos que resolveu apostar com os amigos que seria capaz de engolir uma colher.

Por incrível que pareça, esta é uma história real.

Pode ter certeza que não é fake news, até porque o Cura pela Natureza tem muito cuidado antes de publicar uma notícia.

Nossa equipe faz uma intensa pesquisa antes de divulgar qualquer fato.

Mas, voltando ao caso do chinês Zhang, o que aconteceu com ele?

Como aliviar a ansiedade e prevenir ataque de pânico naturalmente
Estudo: chocolate amargo e vinho tinto podem atrasar o envelhecimento do corpo

A colher ficou presa no topo do estômago dele durante um ano.


Passado esse tempo, o rapaz começou a sentir uma dor no peito, uma espécie de perfuração – só aí é que resolveu ir ao hospital.

E, durante o exame de raio-x, os médicos descobriram o metal engolido.

Isso foi realmente um caso inédito, segundo o diretor do Departamento de Otorrinolaringologia do hospital.

Os médicos afirmaram que a colher representava um risco imediato e potencialmente letal.

Sendo assim, em 22 de outubro, sob anestesia geral, Zhang passou por um arriscado procedimento de duas horas para retirar o objeto estranho com a ajuda de uma pinça.

Com o fim da cirurgia, Zhang já estava se recuperando bem e respirando sem dor.

 

O doutor Yu, que chefiou a equipe que livrou Zhang da colher, dá um conselho para que as pessoas evitem cometer esse tipo de erro:

– Não seja impulsivo!

Algumas brincadeiras podem terminar muito mal.

Portanto, avalie bem os riscos e fuja de desafios bobos!

Objetos estranhos podem cortas e danificar alguns órgãos e isso pode ser fatal.

Há várias pessoas que morreram ao engolir moedas, brinquedos e até mesmo alimentos mal mastigados.

Cuidado!

Este blog de notícias sobre tratamentos naturais não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.


Você também vai gostar: